Conheça os impostos incidentes na importação empresarial


Impostos Tributos Incidentes na Importação

Você que está lendo este texto, provavelmente já ouviu várias vezes que os impostos brasileiros são muito altos. Realmente são! Mas você sabia que não existe uma tarifa só para todos os produtos?

Isso mesmo, existe uma imensidão de produtos que podem ser importados e revendidos no Brasil com uma boa margem de lucro, mesmo depois de pagar todos os impostos.

Nós da Goldman Trade já trabalhamos dessa forma há mais de 20 anos e esse tem sido nossa principal fonte de receita em todos esses anos.

Embora não exista uma só tarifa, são os mesmos impostos que aparecem em todas as importações, porém as suas alíquotas dependem da classificação de cada produto (NCM) - como já comentamos em outro texto: "Quanto preciso para começar a importar".

Existem cinco tipos de tributos que você terá que pagar para realizar uma importação.

Vamos conhecer quais são esses impostos:

  • Federal: II (Imposto de Importação)

  • Federal: IPI (Impostos de Produto Industrializado)

  • Federal: PIS (Programa de Integração Social)

  • Federal: COFINS (Contribuição para Fins Sociais)

  • Estadual: ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços)

Desses cinco impostos, quatro deles também são cobrados para das indústrias que fabricam produtos aqui no Brasil: IPI, PIS, COFINS e ICMS.

II - Imposto de Importação

Este imposto existe tem todos os países e sua função é de regular o comércio internacional no país. Como você pode notar, esse imposto é exclusivo para produtos importados.

A alíquota desse imposto varia entre 0% e 35%. O que irá determinar a porcentagem exata será a classificação do produto que você estiver importando. Geralmente quanto mais importante ou essencial esse produto for para nós aqui no Brasil, menos imposto você terá que pagar.

IPI - Impostos de Produto Industrializado

Diferente do II, esse imposto é doméstico e se aplica tanto sobre os produtos que são importados do exterior como sobre produtos fabricados em território nacional. Para o caso do importador, deverá pagar o IPI por equiparação ao produto nacional.

Se você parar para pensar um pouco sobre isso, verá que é meio óbvio que o Governo Brasileiro queira proteger a indústria nacional, visto que é do seu interesse que as indústrias daqui prosperem, gerem renda, empregos e movimentem a economia.

A alíquota desse imposto geralmente varia entre 0% e 20%. Geralmente! Existem casos que a porcentagem será maior. Lembre-se, tudo depende do tipo de produto que está importando.

PIS - Programa de Integração Social

O PIS é mais um dos impostos domésticos, portanto tanto importadores como fabricantes nacionais deverão pagar. O PIS é visto como uma espécie de contribuição, não um imposto em si, pois é voltado para fins sociais dentro do próprio país.

A alíquota desse tributo é de apenas 2,10% para produtos importados, para produzidos no Brasil a porcentagem é diferente. Esse imposto é o que ajuda a financiar o seguro-desemprego, abono salarial e a participação dos órgãos e entidades públicas e privadas.

COFINS - Contribuição para Fins Sociais

Assim como o PIS, o COFINS é visto como uma contribuição e não um imposto, pois é voltado para fins sociais. Seu objetivo é financiar áreas como a previdência social, assistência social e a saúde pública no Brasil.

Geralmente sua alíquota fica em torno de 9,65% para produtos importados - não varia muito.

ICMS - Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços

O ICMS é um dos impostos mais altos que um importador deverá pagar. Esse imposto é o único imposto estadual incidente na importação e é sem dúvida, o que mais pode inviabilizar a sua cadeia de suprimentos.

O cálculo desse imposto é mais complexo que os outros, pois cada estado tem a sua própria alíquota. Aqui em Santa Catarina, por exemplo, o ICMS é de 17%.

Obs.: Se você está lendo este texto e tem ou quer ter uma empresa importadora em Santa Catarina, converse com a gente através deste email: contact@goldman-trade.com. Nós conseguimos valores diferenciados para importações dentro do Estado.

Resumo

Embora os impostos brasileiros sejam altos, eles são altos para todos. Ou seja, mesmo com alíquotas altas, é possível encontrar oportunidades no exterior e importar produtos para revenda dentro do território nacional com boa margem de lucro.

Os cinco tributos incidentes na importação são:

  • Federal: II (Imposto de Importação)

  • Federal: IPI (Impostos de Produto Industrializado)

  • Federal: PIS (Programa de Integração Social)

  • Federal: COFINS (Contribuição para Fins Sociais)

  • Estadual: ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços)

Nós criamos uma planilha que simula os custos de importação, baseada em nossa base de dados de importações já realizadas. Se você quer ter uma ideia aproximada de quanto sairia sua importação, eu recomendo fortemente que você baixe ela através deste link: "Planilha de Simulação de Custos de Importação".

Lembre-se que quanto mais forte for a concorrência nacional com determinado produto, maior serão as taxas, pois são feitas pressões internas no governo por parte dos industriais para protegê-los do que seria mais uma concorrência - no caso, importadores.

Dica: NUNCA se utilize de artimanhas para escapar de pagar esses impostos na importação. Isso seria uma prática ilegal e você estaria se colocando em problemas com um dos órgãos mais bem equipados, inteligentes e rígidos do nosso país - Receita Federal Brasileira.

Gostou das dicas? Quer ficar por dentro de vários outros procedimentos e ideias que podem te ajudar a fazer uma importação com sucesso? Baixe nossos conteúdos no site, inscreva-se no blog aqui embaixo e nunca deixe de receber as postagens assim que elas forem publicadas.

#NCM #custos #comércioexterior #importação #impostos #tarifas #tributos #alíquotas

Planilha de Custos

Faça uma simulação dos custos da sua importação de forma rápida e prática.

Posts Relacionados